Capitulo 14- Processo de Substituição de Importações

Gilson.vicente cap.14

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Capitulo 14- Processo de Substituição de Importações by Mind Map: Capitulo 14- Processo de Substituição de Importações

1. Industrialização Fechada<< voltada para dentro, isto é, visar ao atendimento do mercado interno, não ser uma industrialização que produz para exportar>> depende em boa parte de medidas que protegem a indústria nacional dos concorrentes externos.

2. Atuadores>> Grupo Executivo da Indústria Automobilística>> Banco do Brasil>> BNDE>> Superintendência da Moeda e do Crédito>> O objetivo, a rápida industrialização, foi atingido principalmente a partir de 1958.

3. Com inúmeros percalços e algumas dificuldades, modifica bastante as características da economia brasileira, industrializando e urbanizando

3.1. Política cambial:>> visava estimular e baratear o investimento industrial; significava uma transferência de renda da agricultura para a indústria>> “confisco cambial”, os agricultores recebiam menos pelas divisas que eram pagas pelos demandantes, desestimulando as exportações de produtos agrícolas;

3.1.1. Tendência ao desequilíbrio externo>> exportações não eram mais alvo de estímulo pela política econômica>> agricultura se mantinha como o principal polo exportador do país>> indústria não visava o mercado externo>> a indústria ainda dependia das importações>>

3.1.1.1. >> Estado financiador. O Estado acabou por executar parte das atribuições dos intermediários financeiros de captação e distribuição de poupança,

3.2. Indústria sem competitividade: devido ao protecionismo, visava atender apenas ao mercado interno, sem grandes possibilidades no mercado internacional;

3.2.1. Elevada demanda por importações: estabelecia-se graças ao investimento industrial e ao aumento da renda

4. A crise de 1930, iniciada nos Estados Unidos e que se repercutiu rapidamente na Europa, chegou ao Brasil por meio de uma rápida queda na demanda por café, acompanhada de forte queda nos preços do café.Atividade voltada ao mercado interno, mais precisamente o consumo e especialmente o investimento doméstico.

4.1. A década de 30 e o deslocamento do centro dinâmico

4.1.1. Década de 30, o setor industrial passa a ganhar espaço, em detrimento do setor agrícola, na geração de valor adicionado na economia brasileira.

4.1.1.1. Esse desempenho da economia brasileira nos anos 30 pode ser explicado por uma política do governo que pode ser considerada heterodoxa.

4.2. As medidas adotadas

4.2.1. “manutenção da renda” e o “deslocamento da demanda”

4.2.1.1. Política keynesiana de sustentação da demanda agregada>> mesmo pagando um preço mínimo baixo para os cafeicultores, esse preço ainda viabilizava a realização da própria colheita e, portanto, o emprego e a renda de muitas pessoas e aquecendo, em parte o mercado.

4.2.1.2. Deslocamento da demanda>> problema no balanço de pagamentos. Esse problema, causado pela queda nas exportações de café e na entrada de recursos externos, era ainda agravado pela própria manutenção da demanda nessa economia>> moratória sobre parte da dívida externa do país e permitida uma expressiva desvalorização da moeda nacional.>> contingenciamento no uso dos recursos externos.

4.2.2. A desvalorização de câmbio provocou forte elevação nos preços dos produtos importados>> atração por produtos nacionais>> bens de consumo leves que passaram a ser produzidos internamente>> crescimento significativo foi o algodão, tanto para atender à produção interna, ainda fortemente concentrada na produção têxtil, como para as exportações.

5. Metas no governo Juscelino Kubitschek

6. Industrialização no Brasil

7. A industrialização por substituição de importações

7.1. estrangulamento externo – a queda do valor das exportações,>> contrapor-se à crise cambial (o estrangulamento externo), o governo toma medidas, para controlar essa crise, que acabam por proteger a indústria nacional preexistente>> aumenta a competitividade e a rentabilidade da produção doméstica>> se produz internamente parte do que era importado, aumenta a renda nacional e a demanda agregada>> crescimento da demanda e um novo estrangulamento externo, o ritmo do crescimento das importações é mais rápido do que o crescimento das exportações

7.1.1. Industrialização por etapas; a pauta de importações ditaria a sequência dos setores objeto dos investimentos industriais.>> a indústria vai-se diversificando e diminuem as necessidades de importação em relação ao abastecimento doméstico.

8. Mecanismos de proteção à indústria nacional utilizados no PSI

8.1. Desvalorização real do câmbio>> proteção aos produtores nacionais>>vantagem valoriza o setor exportador>> A desvantagem: desvalorização cambial, aumento dos preços de equipamentos e matérias-primas importados, dificuldade em investimentos.

8.2. Controle de câmbio>> licenças para importar>> mercado paralelo de câmbio, esquemas de corrupção na obtenção de licenças.>> não gera estímulos ao setor exportador.>> proteger a indústria nacional com a vantagem de possibilitar um investimento (com produtos importados) com baixo custo>>desvantagem: não desvalorização cambial não gera estímulos ao setor exportador.

8.3. Taxas múltiplas de câmbio>> estabelecem-se vários mercados cambiais (denominados, por exemplo, câmbio livre, flutuante, comercial, financeiro etc.)>> coloca-se produtos com similar nacional em mercados com taxas desvalorizadas, encarecendo assim seus preços, favorece-se a indústria nacional>>coloca-se as importações de matérias-primas e equipamentos em mercados com grande oferta, a taxa sobe e barateia o custo de investimentos.

8.4. Elevação das tarifas aduaneiras>> se controla o câmbio, puramente se eleva a tarifa de importação desaquecendo o setor exportador>>

9. CARACTERÍSTICAS DA IMPLEMENTAÇÃO DO PSI

10. AUMENTO DA PARTICIPAÇÃO DO ESTADO

10.1. >> Estado condutor do processo de industrialização, por meio da utilização da política econômica com esse fim.

10.2. >> Estado regulamentador dos conflitos intracapitalistas e das relações entre as classes operária e patronal. Nesse sentido, foi promovida a adequação do arcabouço institucional à indústria

10.3. >> Estado produtor. O Estado foi chamado a assumir boa parte da geração de infraestrutura básica, sendo que as principais áreas de atuação foram os transportes e a energia

11. AUMENTO DO GRAU DE CONCENTRAÇÃO DE RENDA

11.1. Êxodo rural>> desincentivo à agricultura, com falta de investimentos no setor>> oportunidade de trabalho com direitos legais>> excedente de mão de obra e baixos salários

11.2. Capital intensivo do investimento industrial>> não permite gerar empregos suficientes no setor urbano>> mão de obra em excesso e baixos salários.

12. PAPEL DA AGRICULTURA NA INDUSTRIALIZAÇÃO DE UM PAÍS

12.1. Liberação de mão de obra>> durante o processo de industrialização, a força de trabalho antes concentrada no campo deve se transfere para as indústrias.

12.2. Fornecimento de alimentos e matérias-prima>> aumenta ademanda por alimentos nas cidades>> falta de alimentos e de matéria-prima pode causar problemas na industrialização ou causar inflação por conta de alta de preço desses produtos.

12.3. Transferência de capital: a industrialização exige que parte dos recursos outrora no campo recursos são transferidos para o investimento em setores industriais.

12.4. Geração de divisas: o setor agrícola deve se manter elevado o nível de exportações para viabilizar, com as divisas obtidas com essas exportações, a importação de máquinas e equipamentos necessários ao processo de industrialização;

12.5. Mercado consumidor: a agricultura é importante mercado consumidor dos produtos industrializados e nas cidades, como um todo.

13. PLANO DE METAS (1956-1960) Juscelino Kubitschek

13.1. Estabelecer as bases de uma economia industrial madura>> fornecedores de componentes para o setor de bens de consumo duráveis como o setor de autopeças>>

13.2. Comissão Mista Brasil – Estados Unidos (CMBEU)>> criar incentivos para a vinda do capital estrangeiro nos setores que se pretendia implementar.

13.3. Pontos principais: investimentos estatais em infraestrutura>> transporte e energia elétrica. >> aumento da produção de bens intermediários, como o aço, o carvão, o cimento, o zinco>> introdução dos setores de consumo duráveis e de capital.