Get Started. It's Free
or sign up with your email address
LEUCEMIAS by Mind Map: LEUCEMIAS

1. Crônicas

1.1. Mieloide

1.1.1. Epidemiologia: - Adultos (45-50a); - Sexo masculino

1.1.2. Ddx com Reação Leucemoide - > 25.000 leucócitos na periferia; - Não há queda de eosinófilos e basófilos na LMC - FA leucocitária baixa na LMC, B12 alta

1.1.3. QC: - Insidioso - Esplenomegalia de grande monta - Lab: neutrofilia c/ desvio + basofilia + eosinofilia - Crise blástica (principal causa de óbito)

1.1.4. Diagnóstico: - Cariótipo de MO c/ cromossomo Ph

1.1.5. Tratamento: - Mesilato de Imatinibe - Remissão completa em 75-95%

1.2. Linfocítica

1.2.1. Epidemiologia: - A mais comum - > 65 anos - NÂO acomete cças

1.2.2. Patogenia: - Clone neoplásico B não se diferencia em plasmócito - hipogamaglobulinemia - infecção; - Acúmulo de CD5 e CD23

1.2.3. QC: - Grande linfocitose, adenomegalia + hepatoespleno, anemia, plaquetopenia

1.2.4. Diagnóstico: - Linfocitose > 10.000 + 30% de linfócitos neoplásicos maduros na MO OU linfocitose > 5.000 + 30% de linfócitos na MO + CD5+

1.2.5. Evolução: - E0: linfocitose assintomática - 10 anos - E1: adenomegalia - 10 anos - E2: Hepatoesplenomegalia - 6 anos - E3: anemia (Hb<11) - 2 anos - E4: plaquetopenia (< 100.000) - 2 anos

1.2.6. Tratamento: - Clorambucil ou fludorabina + Rituximab - Indicado se ocupação medular - E0-E2: observar

2. Agudas

2.1. Mieloide

2.1.1. Epidemiologia - Aguda + comum; - Incidência em > 15 anos; - Sexo masculino

2.1.2. Subtipos - M0, M1, M6 E M7 - prognóstico ruim; - M2, M3, M4, M5 - prognóstico melhor

2.1.3. QC: - Astenia| sangramento muco-cutâneo | febre; infiltração cutânea; hiperplasia gengival (M4); CIVD (M3); leucoestase, cloroma (M2)

2.1.4. Diagnóstico: - Aspirado + Bx de MO > 20% de blastos mielóides; - Tipagem dos blastos (bastonetes de Auer e grânulos azurófilos, imuno 34 (mau prognóstico), 33, 14, 13)

2.1.5. Tratamento: - Suporte - Terapia específica: * indução da remissão com Ara C + antraciclina 7+3 * consolidação da remissão: bom px - QT altas doses com Ara C; mau px - transplante de MO - Tto M3: ácido transretinóico em altas doses

2.2. Linfocítica

2.2.1. Epidemiologia: - Mais comum em cças (2-10 anos) - Câncer mais comum da infância

2.2.2. Subtipos: - L1: variante infantil, pré-B (+ comum) ou pré T; - L2: mais comum em adultos - L3: forma leucêmica do linfoma de Burkitt (cél T)

2.2.3. QC: - Pancitopenia, linfocitose, dor óssea, adenomegalia, acometimento de SNC e testículos

2.2.4. Diagnóstico: - Aspirado + bx de MO > 25% de blastos linfoides, PAS+, imunofenotipagem CD10, CD19, CD20 (B) ou CD3, CD7 (T). - Translocação 12:21; hiperploidia - bom prognostico - Translocação 9:22 (cromossomo Ph) - mau prognóstico; - LLA cél T - mau prognóstico

2.2.5. Tratamento: - Suporte - Específico: * Indução da remissão (GC+vincristina+L-asparaginose) *Profilaxia SNC (Mtx intra-tecal) * Consolidação da remissão (ciclofosfamida + MTX + ARA-C) * Manutenção (6-mercaptopurina)

2.2.6. Prognóstico: - 85% de chance de cura em cças - 40% de chance de cura em adultos - 80% no Burkitt - 20% na LLA de células T

3. Tricoleucemias

3.1. Linfócitos B com "cabelo"

3.2. Tratamento - Clorodeoxiadenosina - Remissão completa em 90%

3.3. QC: - Monocitopenia com grande imunossupressão e predisposição a infecção por micobactérias (principal causa de óbito) - Mielofibrose - Esplenomegalia de grande monta