DPOC

César Eustaquio de Oliveira Vieira Júnior RA: 5132008

Jetzt loslegen. Gratis!
oder registrieren mit Ihrer E-Mail-Adresse
DPOC von Mind Map: DPOC

1. Fatores de risco

1.1. Fatores externos

1.1.1. Tabagismo

1.1.2. Poeira ocupacional

1.1.3. Irritantes químicos

1.1.4. Fumaça de lenha

1.1.5. Infecções respiratórias graves na infância

1.1.6. Condição socioeconômica

1.2. Fatores individuais

1.2.1. Deficiência de alfa-1 antpresina

1.2.2. Deficiência de glutamina transferase

1.2.3. Alfa-1 antiquimotripsina

1.2.4. hiper-responsividade brônquica

1.2.5. Desnutrição

1.2.6. Permaturidade

2. Diagnósticos

2.1. História clínica

2.1.1. Tosse

2.1.1.1. Sintoma mais comum

2.1.1.2. Pode ser diária ou intermitente

2.1.1.3. Precede a dispneia ou aparece simultaneamente

2.1.1.4. Comum nos fumantes

2.1.2. Dispneia

2.1.2.1. Principal sintoma associado à incapacidade, redução da qualidade de vida e pior diagnóstico

2.1.2.2. Geralmente progressiva com a evoluação da doença

2.1.2.3. Muitos pacientes só referem a dispneia em uma fase mais avançada da doença

2.1.2.4. Índice de dispneia do MRC apresenta correlação com o prognóstico de DPOC

2.1.3. Sibilos

2.1.3.1. Queixa de avaliação mais difícil

2.1.3.2. Examinador confundi com asma

2.1.3.3. 83% dos pacientes de DPOC de moderada a grave relatam e foi constatado no exame de 66%

2.1.4. Tabagismo

2.1.4.1. Principal causa de DPOC

2.1.4.2. Questionado o diagnóstico quando está ausente o tabagismo

2.1.4.3. 15% dos fumantes desenvolvem DPOC

2.1.4.4. Quanto maior a intensidade do tabagismo, maior a tendência ao comprometimento da função pulmonar

2.2. Exames físicos

2.3. Exames complementares

2.3.1. Avaliação Radiológica - Raio X tórax

2.3.2. Avaliação espirométrica

2.3.3. Oximetria de pulso

2.4. Anamnese

2.4.1. Tórax hiperinsulflato

2.4.2. Dispneia

2.4.3. Taquipneia

2.4.4. Respiração com lábios serrados

2.4.5. Utilização da Musculatura acessória

2.4.6. Tempo expiratório prolongado

3. Doenças

3.1. Enfisema Pulmonar

3.1.1. Destruição dos aveolos pulomorares

3.1.2. Não ocorre hematose

3.1.3. Quantidade de O2 no sangue diminui

3.2. Asma

3.2.1. Vias aéreas inflamadas, estreitas e inchadas

3.2.2. Falta de ar, aperto no peito e chiado

3.2.3. Respiração curta e rápida

3.3. Pneumonia

3.3.1. Infecção

3.3.2. Dificulta a respiração

3.3.3. Pode levara óbito

4. Sintomas

4.1. Dispneia

4.2. Pigarro

4.3. Tosse

4.4. Catarro

4.5. Falta de ar

5. Tratamentos

5.1. Tratamento medicamentoso

5.1.1. Oxigenoterapia

5.1.2. Bronquiodilatadores

5.1.3. Adesivo de nicotina

5.1.4. Drogas antidepressivas

5.1.5. Corticoide

5.2. Tratamento não medicamentoso

5.2.1. Parar de fumar

5.2.2. Evitar o contato com outros ases e fumaça tóxicas

5.2.3. Reabilitação pulmonar

5.2.3.1. Objetivo aumentar a força muscular, ampliar a capacidade respiratória e garantir autonomia na realização de atividades diárias

5.2.4. Realização de atividades físicas

5.2.4.1. Recomendação médica e acompanhamento profissional, as pessoas com DPOC podem se beneficiar da realização de exercícios físicos de intensidade moderada, como caminhadas. Além de melhorar o condicionamento físico e muscular, os exercícios aumentam a capacidade respiratória, melhoram o sono, combatem a ansiedade e depressão

5.2.5. Apoio emocional

5.2.6. Aconselhamento nutricional

5.2.6.1. A boa alimentação ajuda a assegurar a qualidade de vida das pessoas com DPOC, já que é essencial para fortalecer o sistema imunológico e prevenir as doenças associadas à DPOC, como hipertensão, diabetes mellitus do tipo 2, hipercolesterolemia (colesterol ruim elevado), Doença Arterial Coronariana, depressão e osteoporose.