Sociedade em Rede - Temáticas, atividades e ideias-chave

Educação e Sociedade em Rede - Temáticas

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Sociedade em Rede - Temáticas, atividades e ideias-chave por Mind Map: Sociedade em Rede - Temáticas, atividades e ideias-chave

1. Temática 1: A SOCIEDADE EM REDE

1.1. Atividade 1: Construção colaborativa de uma definição operativa de «sociedade em rede»

1.1.1. entrevista + leitura de Castells

1.1.2. diferentes conceitos de sociedade em rede

1.1.3. videos YouTube de

1.1.3.1. P. Virilio

1.1.3.2. J. Baudrillard

2. Temática 2: O FENÓMENO DA CIBERCULTURA

2.1. Atividade 2: Proposta de exemplos representativos de cibercultura

2.1.1. Pierre Lévy

2.1.1.1. leitura de Cibercultura

2.1.2. exemplos de cibercultura

2.2. Atividade 3: Confronto Ideológico sobre a Revolução Tecnológica

2.2.1. Paul Virilio

2.2.1.1. filme Penser la Vitesse

2.2.1.2. leitura de Inércia Polar

2.2.2. Jean Baudrillard

2.2.2.1. há relação com as ideias de

2.2.2.1.1. Castells ?

2.2.2.1.2. Lévy ?

2.2.2.2. leitura de Simulacros e Simulação

3. Temática 3: A VIRTUALIZAÇÃO DAS RELAÇÕES SOCIAIS

3.1. Atividade 4: Debate sobre a Autenticidade e Transparência na Rede

3.1.1. fenómeno dos 2 Chinese Boys

3.1.2. identidade

3.1.2.1. imagens

3.1.2.2. textos

3.1.2.3. vídeos

3.1.2.4. perfis

3.1.2.4.1. redes sociais

3.1.3. autenticidade

3.1.3.1. transparência ?

3.1.3.2. ocultação ?

3.1.3.2.1. máscara(s) ?

3.1.3.3. quem verifica ?

3.1.3.4. quem valida?

3.1.3.4.1. como?

3.1.4. confiança

3.1.4.1. validade da informação

3.1.4.2. verificação de informação

3.1.4.3. pessoal

3.1.4.4. institucional

3.1.5. personas online

3.1.5.1. interações online

3.1.6. produção e recolha de dados

3.1.6.1. Google

3.1.6.1.1. indexação

3.1.6.1.2. machine learning

4. Temática 4: A REDE COMO INTERFACE EDUCATIVO

4.1. Atividade 5: Recensão de vídeos com conteúdo educativo

4.1.1. Michael Wesch

4.1.1.1. Web 2.0 ... The Machine is Us/ing Us (2007)

4.1.1.1.1. evolução tecnológica dos meios e suportes educativos / de aprendizagem

4.1.1.1.2. Internet

4.1.1.2. A Vision of Students Today (2007)

4.1.1.2.1. visão dos alunos sobre si próprios

4.1.1.2.2. reflexão sobre as diferentes gerações mais recentes

4.1.1.2.3. inadequação dos métodos e modelos educativos

4.1.1.2.4. frustração

4.1.1.3. An Anthropological Introduction to YouTube (2008)

4.1.1.3.1. surgimento

4.1.1.3.2. utilizadores produtores de conteúdos

4.1.1.3.3. partilha e hipertextualização do vídeo

4.1.1.3.4. construção de comunidades

4.1.1.3.5. conceitos de

4.2. Atividade 6: Debate sobre o Futuro da Aprendizagem

4.2.1. Análise de mais de 20 vídeos sobre Educação

4.2.2. em que medida está a aprendizagem a ser alterada pela própria transformação cada vez mais acelerada da sociedade?

4.2.2.1. tecnologia(s)

4.2.2.2. aceleração

4.2.2.3. modelos educativos

4.2.2.3.1. Internet

4.2.2.3.2. recursos educativos abertos (REA)

4.2.2.3.3. big data

4.2.2.3.4. MOOCs

4.2.2.3.5. conectivismo

5. Atividade 7: Debate sobre o ciclo de vida do conhecimento

5.1. Atividade 7: Debate sobre o ciclo de vida do conhecimento

5.1.1. aceleração do ciclo de vida do conhecimento

5.1.1.1. Internet

5.1.1.1.1. bases de dados

5.1.1.1.2. redes de conhecimento

5.1.1.1.3. big data

5.1.1.2. partilha

5.1.1.3. velocidade

5.1.1.3.1. aceleração tecnológica

5.1.1.4. sofisticação

5.1.1.5. especificação

5.1.2. reutilização de conteúdos digitais na rede

5.1.2.1. REA

5.1.2.2. YouTube

5.1.2.3. (micro)cursos online

5.1.2.4. EaD

6. Trabalho final

6.1. Elaborar um artigo, selecionando uma das temáticas abordadas na disciplina. Para a elaboração do artigo deve considerar as normas EURODL (ver infra).

6.1.1. Em particular, recorda-se que o artigo poderá, por exemplo, ser de natureza teórica, com base numa revisão da literatura, ou poderá ser de natureza teórico-prática, com base num caso real, relativo à prática profissional do autor. Além disso, deverá ser organizado de forma textual, respeitando as indicações expressas, e: incluir a inserção de figuras ou gráficos se o autor assim o entender; ter até ao máximo de 10 páginas no total (incluindo as referências bibliográficas), de acordo com a formatação mencionada. A seleção da temática deverá ser aprovada pelo Professor, pelo que cada estudante deverá propor ao docente um tópico para trabalho. Os artigos de maior qualidade poderão ser objeto de publicação, com o acordo do autor. O objetivo principal da realização do Trabalho Final é o de permitir a problematização, sistematização e consolidação de conhecimentos sobre uma questão específica das várias abordadas na disciplina. Apesar de ser um trabalho individual, a interação com colegas e docente é altamente recomendada, nas suas várias fases, desde a escolha do tema, leituras realizadas, organização da informação, escrita do texto.

6.1.2. Na sua avaliação serão considerados os seguintes critérios:

6.1.2.1. 1. Clareza de raciocínio e delimitação adequada do âmbito da análise;

6.1.2.2. 2. Domínio dos conceitos trabalhados;

6.1.2.3. 3. Relevância atual;

6.1.2.4. 4. Demonstração da capacidade de problematizar, refletir e elaborar ideias com base nos conceitos e temáticas abordados;

6.1.2.5. 5. Respeito pelas indicações facultadas, nomeadamente ao nível da estruturação e organização;

6.1.2.6. 6. Originalidade.

6.2. Normas EURODL

6.2.1. Formatação do artigo final - format guidelines

6.3. Temas EURODL

6.3.1. Implementing distance and e-learning in traditional contexts

6.3.1.1. The influence of various concepts and methodologies of education and training

6.3.1.2. Developing and implementing institutional strategies

6.3.1.3. Searching for best practice in support of professionalisation

6.3.1.4. Coping with resistance in existing "cultures" (research – teaching – management)

6.3.1.5. Learning process design, teaching methodologies

6.3.1.6. Learner support, student-teacher interactions

6.3.1.7. Teacher and tutor training

6.3.1.8. Collaborative learning issues

6.3.2. New technologies and new learning: concepts and models

6.3.2.1. Developing and designing new models of production and delivery in ODL and e-learning

6.3.2.2. Multimedia approaches, virtual education and virtual mobility issues

6.3.2.3. E-Learning environments and platforms

6.3.2.4. Informal arenas of learning – learning opportunities in daily life and the workplace

6.3.2.5. Social networking and learning

6.3.3. Quality, evaluation and accreditation challenges

6.3.3.1. Quality assurance, quality management systems and frameworks in distance and e-learning

6.3.3.2. Evaluation and benchmarking methods and procedures

6.3.3.3. Standardisation issues

6.3.3.4. Assessment and accreditation of courses and institutions

6.3.4. The European dimension and cultural factors in ODL

6.3.4.1. The influence of political, institutional and cultural traditions on ODL

6.3.4.2. Open, distance and e-learning in international contexts: motivation, interests and experience in the educational world

6.3.4.3. Values in European approaches to distance and e-learning in a global context

6.3.4.4. Impact and achievements of EU initiatives in the fields of distance and e-learning

6.3.5. Distance and e-learning policy and development

6.3.5.1. Modernisation of education in policy – Evolution of the discourse about ODL and e-learning from historical perspectives

6.3.5.2. The state of art of the technology-methodology development; consolidating the distance and e-learning practice for the new knowledge societies

6.3.5.3. The role of internationalisation in the consolidation, standardisation and professionalisation of the European ODL and e-learning

6.3.5.4. The role of e-learning and distance education in the modernisation process of economies, societies and education systems

6.3.6. Management and Organisational Development

6.3.6.1. Logistic and organisational challenges

6.3.6.2. Strategic leadership and organisational change in distance and e-learning contexts

6.3.6.3. Management styles for distance and e-learning organisational development

6.3.6.4. Economic models for distance and e-learning activities

6.3.7. Documento de Call for Papers deste mês - ver temas...