PLANOS DE EDUCAÇÃO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
PLANOS DE EDUCAÇÃO por Mind Map: PLANOS DE EDUCAÇÃO

1. O artigo 8º da Lei Federal nº 13.005, de 2014, prevê que os Estados, o Distrito Federal e os Municípios “deverão elaborar seus correspondentes planos de educação (...) em consonância com as diretrizes, metas e estratégias previstas neste PNE”.

1.1. Concepção sistêmica de gestão;

1.2. Definição de fomas de operacionalização;

1.3. Garantia do direito à educação;

1.4. Responsabilidades constitucionais.

1.4.1. Financiamentos, apoio técnico, diretrizes gerais, formação de professores.

2. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

2.1. COMPROMISSOS

2.1.1. Permitir o acesso a permanência;

2.1.2. Eliminar as desigualdades;

2.1.3. Diminuir desigualdades educacionais em cada território;

2.1.4. Exercício da cidadania;

2.1.5. assegurar acesso pleno de crianças e jovens de 6 a 17 anos ao ensino fundamental e médio.

2.1.6. Formação para o trabalho identificando as potencialidades;

2.2. DESAFIOS

2.2.1. Vinculação dos recursos a um padrão nacional de qualidade;

2.2.2. Fortalecimento da gestão democrática.

2.3. RETROCESSOS

2.3.1. Financiamento da educação após EC 95;

2.3.2. Leis específicas que a normatizem.

3. PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO

3.1. COMPROMISSOS

3.1.1. Gestão democrática dos sistemas de ensino e regime de colaboração no Estado do RS na garantia do direito à educação de qualidade;

3.1.2. Garantia do direito à Educação Básica;

3.1.3. Acesso e ampliação do Ensino Superior;

3.1.4. Educação e diversidade: justiça social, inclusão e direitos humanos;

3.2. DESAFIOS

3.2.1. Universalização da Educação Infantil;

3.2.2. Implementação do turno integral na Educação Básica;

3.2.3. Melhorar indicadores educacionais.

3.3. RETROCESSOS

3.3.1. Desvalorização e ataque aos direitos dos Trabalhadores em Educação;

3.3.2. Contenção do financiamento.

4. PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BALNEÁRIO PINHAL

4.1. COMPROMISSOS

4.1.1. Universalização do atendimento escolar;

4.1.2. Melhoria da qualidade da educação;

4.1.3. Formação para o trabalho e para a cidadania com ênfase nos valores morais e éticos em que se fundamenta a sociedade;

4.1.4. Valorização dos profissionais da educação;

4.1.5. Promoção dos princípios do respeito aos direitos humanos, à diversidade e à sustentabilidade socioambiental.

4.2. DESAFIOS

4.2.1. Erradicação do analfabetismo;

4.2.2. Superação das desigualdades educacionais com ênfase na promoção da cidadania e na erradicação de todas as formas de discriminação;

4.2.3. Promoção humanística, científica e tecnológica do País.

4.3. RETROCESSOS

4.3.1. A inexistência da gestão democrática na rede de educação pública municipal;

4.3.2. O não cumprimento da meta de aplicação de recursos públicos em educação como proporção do produto interno bruto – PIB que assegure atendimento as necessidades de expansão com padrão de qualidade e equidade.

5. EC do Teto de Gastos reflete diretamente no investimento em educação nos estados e municípios

5.1. Fica claro que o não cumprimento de uma meta no nivel federal compromete as ações nos demais entes federados

6. É possível perceber que há consonância sobre a importância de garantir o acesso à educação para atender às necessidades especificas de cada esfera.

6.1. Pensar nacionalmente e planejar localmente garante ações mais adequada a cada realidade.

7. A Gestão Democrática presente em âmbito nacional e estadual, não se concretiza na Rede Municipal

7.1. O município de Balneário Pinhal ainda resiste ao antigo modelo de indicação de equipes diretivas e pedagógicas em suas escolas

8. É possivel perceber a preocupação com a desigualdade social do nosso país que inevitavelmente reflete na educação

8.1. É possível traçar um paralelo entre condição socio-econômica e acesso e permanência na escola, em virtude disso os planos se propõem em corrigir esse fato histórico através da educação.

9. A perspectiva da educação não apenas como instrumentalizadora também é percebida nos planos

9.1. A proposta de uma educação que emancipe e humanize é a grande norteadora das estratégias educacionais.

10. A compreensão do educador como parte fundamental para que as metas sejam atendidas plenamente.

10.1. O discurso falacioso que não se aplica na prática, muito ao contrário. Essa postura por parte dos governos com os trabalhadores em educação pode ser facilmente percebido em todos os entes federados.

11. A exigência de uma eficiência a partir de bons resultados em avaliações externas.

11.1. Padrão de qualidade na educação parece destoar profundamente de todo o plano, afinal para que seja possível atingir essa meta, todas as outras devem ser cumpridas integralmente.